segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

O Santo Grau



Existe o ser , o ser oficial e o sentir ser. O grau nos faz ser o que somos oficialmente, mas só o paciente tem o poder de nos fazer sentir que somos médicos . É ele que num mundo invisível põe suas mãos sobre minha cabeça e me abençoa. Ele é quem me permite verdadeiramente ser e sentir assim... É ele quem gradua o meu coração...

 

sábado, 17 de novembro de 2012

Ordem das coisas



As vezes eu tenho a impressão de que as coisas na vida ficam esperando para acontecer todas de uma vez. Coisas, boas ou ruins, gostam de andar acompanhadas. Nem os acontecimentos gostam de ser sozinhos. 

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Planejamento


Eu não tenho bem um plano para o futuro. 
Eu não tenho nada escrito num papel. 
O que eu tenho é mais um sentimento...


segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Ciclo Cotidiano




Você toma a contragosto uma dose de realidade. 
Seu coração fica angustiado, 
o presente parece um absurdo e o futuro sombrio .

Mas daí te ocorre : não precisa ser assim.

- Outro mundo é possível.



Eu me levanto e a fantasia recomeça :)

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Pôr-do-Sol



"....  Seria o ocaso mais bucólico que o amanhecer? Afinal, estamos falando do mesmo evento que ocorre de maneira contrária. Como um espelho, imagem real e invertida. Será que à tarde estamos mais sensíveis após um dia inteiro de labuta e a descida do sol leve com ela nossas angústias. Acho que não, há tempos que o ciclo claro-escuro deixou de marcar o começo e o fim de nossos dias, e isso tem deixado nossa pituitária e seu hormônio melatonina “loucos” no controle do ritmo circadiano - é, meu caro leitor, não são só as plantas que precisam de luz para sobreviver. Afinal, desde a invenção do relógio que a coincidência dos ponteiros às zero horas é que têm marcado a transição de nossos dias.Mas se não são nossos problemas que estão sendo levados com fim de mais um dia, será que nosso fascínio provém de termos observado a cada dia menos o nascer do sol que o “morrer” do sol, afinal a cada dia dormimos mais tarde, e acordamos mais atrasados.  Talvez não, afinal, enclausurados dia após dia em nossas edificações, não temos mais, igualmente, conseguido observar o poente. Em verdade, a cada dia estou mais convencido de que a beleza do pôr-do-sol resida nos nossos sentidos. Os sentidos – no caso a visão – são instrumentos biológicos que nos ligam ao mundo “real” através de estímulos elétricos. Sim, o poente tem um brilho maior porque ao final do dia maior quantidade de poeira se encontra em suspensão na atmosfera, e a incidência dos raios, iluminando essas partículas (a sujeira de outrora) confere a esse momento uma cor laranja-avermelhada, simplificada por Djavan como Lilás. Seja como for, o que eu sei é que “eu quero é ver o pôr-do-sol, lindo como ele só”, esse raro espetáculo cotidiano da natureza que nos deixa em conexão direta com Deus, para que em meu Epitáfio não esteja escrito: “devia ter complicado menos, trabalhado menos, ter visto o sol se pôr...”.
Bruno Pessoa

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Gratidão



Á você, que quando entregou seu coração em minhas mãos fez de mim mais do que eu pensei 
que poderia ser um dia, agradeço! Oferecendo a minha vida inteira para cuidar da tua...






segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Encontros e Despedidas


 
 
"O imprevisto acontece e alguém te encontra.
E te reencontra.
Te reinventa.
Te reencanta.
Te recomeça...."
                             

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Faz parte do plano, entende?


"O neoliberalismo funciona melhor num ambiente de democracia eleitoral formal, mas no qual a população é afastada da informação, do acesso e dos fóruns públicos indispensáveis a uma participação significativa na tomada das decisões."

"A democracia liberal numa casca de noz: debates triviais sobre questões menores entre partidos que
seguem basicamente as mesmas políticas pró-grande empresa, independentemente de diferenças formais e de discussões de campanha. A democracia é admissível desde que o controle dos negócios esteja fora do alcance das decisões populares e das mudanças, isto é, desde que não seja democracia."


"O sistema neoliberal tem, por conseguinte, um subproduto importante e necessário – uma cidadania despolitizada, marcada pela apatia e pelo cinismo. Se a democracia eleitoral pouco afeta a vida social, é irracional dedicar-lhe demasiada atenção"

Fragmentos do livro "O Lucro  ou as Pessoas" de Chomsky Noam

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Formanda,

O vestido não importa. O anel não importa. O baile não importa.
O que importa é que você vai ser o que você queria ser quando crescer
Agora é você quem dita o ritmo da sua vida.
O resto ... é confete.

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Há uma certa urgência na vida


 
 
Meus pensamentos são volúveis
Minha memória é fraca
Preciso escrever
Preciso viver
 
Antes que eu me esqueça...

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Belas



Esse final de semana saímos de Recife , viajamos 4,5 horas e chegamos em um lugar que tinha um médico para 5.000 pessoas - duas vezes na semana. Uma coisa é ler as estatísticas outra é conhecer essa realidade. Vôzinhos morrem em casa por desidratação. Doenças conhecidas vão passando sem diagnóstico. É preciso que o Governo tome uma atitude, melhore o salário e as condições de trabalho nesses lugares. Ofereça incentivos para que o médico deixe a capital. É preciso que as escolas médicas identifiquem, valorizem e estimulem alunos com esse perfil. O PSF precisa deixar de ser "o que resta", e passar a ser algo importante...

- A senhora tem alguma queixa?
- Tenho doutora. Eu queria que a gente tivesse um médico que fosse da gente.
Que cuidasse da gente. E estivesse aí todos os dias na semana. Que nós num precisasse dormir na fila de madruga pra pegar um ficha. 20 fichas pra 400 pessoas, doutora?


- A senhora não pensa em trabalhar aqui não doutora?
(ai meu coração)

I was here



I just want them to know
That I gave my all
Did my best
Brought someone to happiness
Left this world a little better

sábado, 11 de agosto de 2012

À la carte



- Me traga um amor que me deixe ser alegre, por favor?
Ou melhor, me traga um amor que me deixe SER.
Obrigada.

Cirurgia Cancelada

A gente vê quando o médico vibra com a gente. Quando luta com a gente! Vê nos olhos dele "Não desanime Mãe! Nós vamos conseguir Mãe! As plaquetas subiram!" Eles nos dão força para seguir. Nos seguram pela mão.  Mas doutora, a gente também vê quando para o médico a gente é um qualquer. "ESPERE mãe! PACIÊNCIA mãe!" Sem nem olhar nos nossos olhos, sem compadecer da nossa dor. Distantes.

Doutora eu vou pra casa sem fazer essa cirurgia. Mas e se as plaquetas dela baixarem? E se ela morrer? O que vocês vão me dizer? Sinto Muito Mãe? Como eu já ouvi outras vezes? Para vocês ela pode ser mais um paciente, mas para mim ela é a minha ÚNICA filha. Ela é  TUDO que eu tenho. Vou lhe dar um conselho doutora. Eu sei que você está estudando e que vai se formar ainda. Cuidado coma médica que você vai ser. Faça isso por amor. Não faça somente pelo dinheiro não. A gente nunca sabe o dia de amanhã. Faça por amor, doutora....


Faltando sangue no HEMOPE
Dia difícil ontem...
ps.: A cirurgia já está remarcada

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Birra






Não é uma boa idéia fazer birra com a vida. Cruzar os braços, fazer bico e virar o rosto :"quero não, mais não". Diferente de quando a gente era criança, talvez agora ninguém nos ofereça outra vez. Talvez, seja muito o que a gente tem a perder ... ou talvez não? Vai saber.

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Bola de Meia, Bola de Gude

Há um menino
Há um moleque

Morando sempre no meu coração
Toda vez que a tristeza me alcança
O menino me dá a mão
Toda vez que o adulto fraqueja
Ele vem pra me dar a mão

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

120 Dias

Então, meu coração também pode crescer.
Entre o amor e o fogo,
entre a vida e o fogo,
meu coração cresce dez metros e explode.
– Ó vida futura! Nós te criaremos

- Carlos Drummond de Andrade

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Cura





Dizem que não devemos nos apegar aos pacientes para não acontecer
de que  dia após dia, adoeçamos com eles...
Mas e todas vezes em que somos curados com eles?
E todas as vezes que somos curados por eles?

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Lunática





Ela queria ir a lua. Trancaram-na num hospício. Fecharam as janelas. Disseram que era longe demais. Furada demais. Inconstante demais. Disseram para deixar de ser lunática, problemática, democrática.  Mandaram colocar os pés no chão. Mas ela não aguentava mais. Não suportava mais a gravidade. A disparidade. A humanidade. Precisava ir a lua. Não sentir o peso do mundo nas costas. Não ver mais o tempo passar. Encontrar S. Jorge (....) e o Dragão.

But sometimes you can


"Você sabe que eu não te mereço, né?"
 Não não sei. Não acho que existe isso de merecer alguém. 
O que existe é a vontade. O que existe é a escolha que se faz. 
Apesar das diferenças, e do medo e das dificuldades.

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Benção


"Que Deus te ilumine e que sua vida seja clara como a lua.
Que a cada passo, você pise nas estrelas.
Que você seja feliz, minha filha.
Eu te amo."

T.

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Banho de Lua








E ela veio aparecendo devagarzinho
Pedindo para eu me aproximar.
Não como um apelo, mas como um convite
E eu fui. Deixei meus afazeres, minhas preocupações
Os pesos que eu carregava, deixei.
Deixei a vida inteira atrás de mim para contemplá-la

E aos poucos, surgindo por detrás das nuvens
Sua luz foi iluminando o céu
Se derramou sobre o mar
E pingou em mim também

E aquela gota,
Aquele pigando de lua
Me iluminou inteira

Depois, as nuvens vieram e a esconderam outra vez
O mar se apagou. O céu escureceu
Mas eu ? Eu não. Eu fiquei assim.

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Safe



Eu sei que a gente precisa se doar.
Mas a gente deve sempre lembrar de guardar
 um pedacinho da gente seguro em algum lugar.
Caso um dia a gente enlouqueça

terça-feira, 3 de julho de 2012

Todo Amor é Sagrado






"Saudades! Sim... Talvez... e porque não?... Se o nosso sonho foi tão alto e forte. Que bem pensara vê-lo até à morte. Deslumbrar-me de luz o coração! Esquecer! Para quê?... Ah! como é vão! Que tudo isso, Amor, nos não importe. Se ele deixou beleza que conforte. Deve-nos ser sagrado como o pão!"

 Florbela Espanca

terça-feira, 26 de junho de 2012

Verbalize



Mas é preciso falar mesmo,
porque falar incomoda.
E se  incomodar,
 talvez alguém se mova.
E se alguém se mover,
talvez a gente chegue em algum lugar...

quinta-feira, 14 de junho de 2012

Relicário


"Acredito na sua visão e na proposta de vida que vi em você. A sua estrada é tão longa quanto o caminho do sol que todo dia nasce mais forte e desbrava a terra esquentando o chão ou se infiltrando como arestas por mais pequeno que seja o espaço"


Das palavras que a gente guarda no coração...
 

terça-feira, 12 de junho de 2012

Tão curta


Ah, Moço. Inspirar e acreditar nas pessoas deve ser uma das maneiras mais completas de se viver.  É como se a gente pudesse estar em muitos lugares ao mesmo tempo. É como se a gente virasse maior do que podia ser. É como se a gente ganhasse mil vidas para viver mil sonhos. E a gente precisa disso, o senhor deve entender. Mesmo sem saber, a gente carrega sempre dentro da gente mais sonhos do que aqueles que caberiam numa vida só. Numa vida só tão curta.  Ah, e a vida é tão curta, moço. A vida é tão curta.... que dá dó.

sábado, 9 de junho de 2012

Sobre ser Índigena no Nordeste do Brasil


O que faz de você quem você é? Vídeo gravado nas terras indígenas de Pankararu
Sobre a identidade indígena, com música e participação de Gean Ramos

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Cartão Postal de Pankararu - Gean Ramos


Eu costurei esse vídeo com minhas lembranças das Terras Indígenas de Pankararu.
Sem dúvida uma das melhores e mais importantes experiências da minha vida

"Quem não viu tem que vê o que a natureza pode fazer
Nas Terras Indígenas de Pankararu... "

domingo, 3 de junho de 2012

Felicidade Pankararu


Acho que o segredo é por a felicidade na mochila e ser feliz onde chegar.
E chorar quando partir. E deixar sua felicidade lá. Completamente.
E ao mesmo tempo levá-la com você. Inteira.

quinta-feira, 31 de maio de 2012

A Rede


Nenhuma taça me mata a sede
Mas o sarrabulho me embriaga
Mergulho na onda vaga
Eu caio na rede
  Não tem quem não caia
 
Às vezes eu penso que sai dos teus olhos o feixe
De raio que controla a onda cerebral do peixe

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Mestiça



Mestiçagem. Não é que eu não seja nem branco, nem negro, nem índio. Não é que eu não seja nada. O que se sucede é justamente o contrário. O que acontece, moço, é que eu sou tudo. E o mundo inteirinho cabe dentro de mim...

quinta-feira, 10 de maio de 2012

A Casa de Dona Tida

Não chove. As vacas morreram no caminho. Seu Rui. O vinho do Vale São Francisco. O Queijo Coalho de Cachoeirinha. João. Chico. O Chico, dos livros de geografia, de história e dos contos que ouvi. Olha o Velho Chico ali. Tão perto. E o dilema: tão seco, tão perto. A lua cheia. O luar do sertão das músicas que ouvi.  A noite clara. A pele escura. Os Praiás. Os índios como eu. Cafusos como eu. Confusos como eu. Amigos meus. Não chove. O Vaqueiro. As frutas têm nomes que eu não sei. O preço do feijão subiu. Não chove. O pé de Pau. O galo que me acorda toda manhã. A casa de Dona Tida. O menino que chora a noite inteira. A poeira da estrada.  O Pena Branca. As Aldeias. Bença vó. Todas as estrelas no céu das entranhas de Paranambuco. A pedra do índio. As pessoas que adoecem como eu. Que sonham como eu. A aldeia que é o mundo. A calma. O olhar de Dona Tida. O Toré. O cachorro doente. Passarinho que dorme muito cedo acorda de cabeça pra baixo. A poesia. A melodia. Não sei porque algo me lembra Monteiro Lobato. Doze filhos.O que pensa Dona Tida quando olha assim? O picolé de imbu. Pankararu. Tia, olha o que eu trouxe para você...

Não sei...

O que é que você mais sabe?
O que é que você mais sabe sobre você?

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Talvez






Sendo últil talvez eu faça sentido, não sei. A verdade é que ando meio perdida, e não sei mais de mim. Talvez a aparente bondade seja apenas efeito colateral de toda essa confusão. Algo sempre queima para poder iluminar...

terça-feira, 1 de maio de 2012

Felicidade



Essa felicidade que supomos, árvore milagrosa que sonhamos
toda arriada de dourados pomos existe sim;
mas nós não a encontramos,
porque está sempre apenas onde a pomos
e nunca a pomos onde nós estamos...

Vicente de Carvalho

sábado, 28 de abril de 2012

Sonho de um Sonho - Drummond



Sonhei que estava sonhando
e que no meu sonho havia
outro sonho esculpido.
Os três sonhos sobrepostos
dir-se-iam apenas elos
de uma infindável cadeia
de mitos organizados
em derredor de um pobre eu.
Eu que, mal de mim! sonhava.

Sonhava que no meu sonho
retinha uma zona lúcida
para concretar o fluido
como abstrair o maciço.
Sonhava que estava alerta,
e mais do que alerta, lúdico,
e receptivo, e magnético,
e em torno a mima se dispunham
possibilidades claras,
e, plástico, o ouro do tempo
vinha cingir-me e dourar-me
para todo o sempre, para
um sempre que ambicionava
mas de todo o ser temia...
Ai de mim! que mal sonhava.

Sonhei que os entes cativos
dessa livre disciplina
plenamente floresciam
permutando no universo
uma dileta substância
e um desejo apaziguado
de ser um ser com milhares,
pois o centro era eu de tudo
como era cada um dos raios
desfechados para longe,
alcançando além da terra
ignota região lunar,
na perturbadora rota
que antigos não palmilharam
mas ficou traçada em branco
nos mais velhos portulanos
e no pó dos marinheiros
afogados em mar alto.

Sonhei que meu sonho vinha
com a realidade mesma.
Sonhei que o sonho se forma
não do que desejaríamos
ou de quanto silenciamos
em meio a ervas crescidas,
mas do que vigia e fulge
em cada ardente palavra
proferida sem malícia,
aberta como uma flor
se entreabre: radiosamente.

Sonhei que o sonho existia
não dentro, fora de nós,
e era toca-lo e colhe-lo,
e sem demora sorve-lo,
gasta-lo sem vão receio
de que um dia se gastara.

Sonhei certo espelho límpido
com a propriedade mágica
de refletir o melhor,
sem azedume ou frieza
por tudo que fosse obscuro,
mas antes o iluminando,
mansamente convertendo
em fonte mesma de luz.
Obscuridade! Cansaço!
Oclusão de formas meigas!
Ó terra sobre diamantes!
Já vos libertais, sementes,
germinando à superfície
deste solo resgatado!

- Carlos Drummond de Andrade

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Aos Meus Amigos


"Am I awake ? Am I a shape, walking down in a peaceful sleep ? Did I dream out loud ?
For all I know that's only fate that gathered you around this place
And I stare at you, feeling so blessed that I got to cross your way my friend..."


Obrigada por cruzarem meu caminho. E por caminharem comigo...
Bruno Calife, Bruno Costa, Clarissa Pontes, Anselmo Queiroz
Helton Cavalcanti, Leo Ely, Livia Gallindo e Erika Maranhão

Razões


A vida é menos sobre sucesso e mais sobre sentido.
Então, por que você faz o que você faz?

terça-feira, 17 de abril de 2012

O Médico e o Monstro?

Acontece alguma coisa muito delicada quando um médico se torna empresário da saúde. Às vezes as coisas parecem confusas, e é preciso tomar cuidado para que o empresário não destrua o médico, só isso. Para que o capital não destrua a arte.

.

terça-feira, 3 de abril de 2012

Sobre Esperança - Sherwin Nuland (TEDTalk)



"A man, to be greatly good, must imagine intensely and comprehensively; he must put himself in the place of another and of many others; the pains and pleasure of his species must become his own" Percy Shelley

segunda-feira, 26 de março de 2012

Terminal




"Esta vida é uma estranha hospedaria,
De onde se parte quase sempre às tontas,
Pois nunca as nossas malas estão prontas, 
E a nossa conta nunca está em dia."
Mário Quintana

Estamos todos partindo. Mas não costumamos nos preparar para isso. Nem para a nossa partida, nem para a partida de quem amamos. Vivemos evitando a morte a todo custo, ela é banida até dos nossos pensamentos.  Mas como seria dormir e acordar num lugar onde o anjo da morte passasse todas as noites? Você conseguiria dormir um sono tranquilo se tivesse a certeza de que  existe fortes chances de alguém ali não acordar? E há a probabilidade desse alguém ser você? Nem os meus pacientes.

É muito difícil trabalhar com doentes em fase terminal. É muito dificil vê-los indo embora, deixando para trás um leito vazio. Um coração vazio - cheio de saudade. É muito difícil dar a notícia, por mais clara - por mais óbvia que seja ( ou pareça ser). É muito difícil entender de que não se trata de 'ganhar' ou 'peder', mas é sobre 'como as coisas são'. A vida é assim, um dia ela acaba. E o que podemos fazer é procurar viver da melhor maneira possível. O que podemos fazer é amenizar o sofrimento o máximo possível. Com o tempo descobrimos que as nossas palavras, nossa maneira de olhar, nosso abraço - tem um poder analgésico muito mais potente que qualquer opióide.  Fármaco nenhum pode penetrar a alma... 

"Se puderes curar, cura;
Se não puderes curar, alivia;
Se não puderes aliviar , consola..."

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Rebellion

by Edward Miller

Hugo Cabret


“I like to imagine that the world is one big machine. You know, machines never have any extra parts. They have the exact number and types of parts they need. So I figure if the entire world is a big machine, I have to be here for some reason, too."

“Maybe that's why a broken machine always makes me a little sad, because it isn't able to do what it was meant to do...Maybe it's the same with people... If you lose your purpose...it's like your broken.”

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Música Caduca - Camarões



Irma, nasceu em Camarões. Por volta dos 15 ano foi fazer segundo grau na França. Pai guitarrista, mãe faz parte de um coral. Se apresentava desde criança. Em 2007 postou seus primeiros vídeos no You Tube. A globalização, globaliza o que é bom também ;)

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Música Caduca - Israel


"... In my dreams I know I'll meet you.
The night is young, the sky is clear and You are here"





For a New Dream
Tal Ben-Ari, nasceu Tel Aviv em 1983.
Vive atualmente em  Barcelona, Espanha

Tem muito música boa pelo Mundo  ;)

domingo, 29 de janeiro de 2012

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Mergulho



Eu pensava que era um poço de sonho e de vontade.
                   Na minha pretenção de matar a sede do mundo, descobri que sou gota                             
Eu sou só uma gota de sonho e de vontade, e não basto para minha própria sede.



                                                           



sábado, 7 de janeiro de 2012

Manuel Bandeira


Morrer sem deixar porventura uma alma errante...
A caminho do céu?
Mas que céu pode satisfazer teu sonho de céu?

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Areia


São seis anos acumulando grãos de areia. Enfim, ao final temos uma duna.
Mas quando foi que deixamos de ser grãos e passamos a ser duna?